Carros seminovos: veja o melhor ano para os 10 mais buscados

17 / fevereiro / 2017

Preço do mais novo pode não justificar investimento extra, mas mudanças de geração ou acréscimo de equipamentos apontam melhor negócio.

Mas qual escolher? Será que, quanto mais recente, melhor? Nem sempre. Para fazer a escolha certa, é preciso levar em conta se houve mudanças na linha, novas versões, reestilizações e aumento -ou até redução- na oferta de equipamentos.

O G1 mostra abaixo (em ordem alfabética) qual o melhor ano/modelo para a compra dos carros mais buscados em 2016 nos principais sites de vendas de usados do país: Mercado Livre, OLX e Webmotors.

A avaliação é baseada no histórico de mudanças dos modelos e no valor segundo a tabela Fipe de fevereiro.

Chevrolet S10

 

S-10

A picape da GM passou por uma profunda reestilização na linha 2017. Antes disso, não teve grandes mudanças nos anos anteriores. Até por isso, a variação de preços entre as S10 seminovas é próxima.

Segundo a tabela da Fipe, a versão topo de linha LTZ diesel 4×4 automática 2014 custa, em média, R$ 103.764. É 9,2% mais barata do que os R$ 113.321 de um modelo do ano seguinte. Por fim, uma S10 2016 nesta configuração sai na faixa de R$ 127.775, ou 12,8% mais cara.

Porém, quando equipado com motor flex, um exemplar 2016 vale mais a pena, já que custa apenas 3,5% mais do que um 2015: R$ 76.326 contra R$ 73.763. Por outro lado, eles são bem mais caros do que um 2014. Mas aí há uma justificativa. O modelo mais antigo tem motor 2.4 de 147 cavalos, bem menos potente do que o 2.5 de 206 cv dos anos 2015 e 2016, que continua na linha.

Fiat Palio

 

Palio

O carro mais vendido do Brasil em 2014 teve poucas mudanças de lá pra cá. A principal delas foi em 2015, com o ganho de equipamentos na opção mais barata, Attractive. Ela passou a ter vidros e travas elétricos. O preço médio, no entanto, ficou apenas 6,6% mais caro, chegando a R$ 30.420, contra R$ 28.541 no modelo 2014. A diferença para o ano seguinte, porém, é maior, de 15,4%. O Palio 2016 custa, segundo a Fipe, R$ 35.111.

Fiat Uno

 

Uno

A linha 2015 do Uno passou pela primeira reestilização de geração no final de 2014. Junto com o visual atualizado, o compacto ganhou acabamento mais caprichado e a possibilidade de ter start-stop (que desliga o motor quando o carro para em semâforos ou no trânsito) e câmbio automatizado.

As grandes mudanças refletiram nos preços. A versão Evolution 2015, com start-stop, custa 24,8% mais do que a versão equivalente em 2014, chamada Economy, de acordo com a tabela Fipe. Em valores, isso significa R$ 34.596 ante R$ 27.718.

A versão Way com motor 1.0 traz diferença menor nos preços. Considerando o modelo 2014, o preço médio é de R$ 26.399. No modelo 2015, o valor é 11% mais alto, chegando a R$ 29.321. Por fim, a versão 2016, a última antes da mais recente reestilização, sai por R$ 34.132, ou 16,4% a mais do que no modelo anterior.

Ford New Fiesta

 

new fiesta

O Ford New Fiesta começou a ser produzido no Brasil em 2013, já como linha 2014. Pouco depois, o Fiesta RoCam deixou de ser vendido por aqui. Desta forma, dos últimos 3 anos/modelo, há apenas unidades da nova geração, que também não sofreram alterações significativas neste período.

Na tabela Fipe, as versões 2015 são as mais atraentes.

Considerando a básica, 1.5, o modelo sai, em média, R$ 37.425, ou 6,7% mais caro do que o 2014, de R$ 35.073. Já na comparação com um veículo 2016, a diferença é de 13,4%, chegando a R$ 42.476.

A variação é ainda maior na versão topo de linha, Titanium Plus. Um exemplar 2014 tem tabela média de R$ 45.254, 8,6% mais em conta do que os R$ 49.141 de um modelo 2015.

Por fim, um Fiesta Titanium Plus 2016 fica, em média, R$ 57.036, ou 16,1% mais caro do que um do ano anterior.

Honda Civic

 

Civic

Antes de ganhar a nova geração, em agosto deste ano, o Civic teve poucas mudanças nas linhas anteriores. Em 2014, a versão intermediária LXR com câmbio automático passou a ter motor 2.0, de 155 cv. Segundo a tabela Fipe, o valor médio é de R$ 57.957. No ano/modelo seguinte, ganhou nova grade dianteira e rodas maiores. Mas o preço médio subiu 10,5%, para R$ 64.020.

Por fim, no modelo 2016, o preço médio aumenta mais 9,9%, para R$ 70.347.

Então, se o orçamento está mais restrito, vale procurar uma unidade 2014, que não tem mudanças consideráveis e é a mais em conta.

Toyota Corolla

Corolla

Líder entre os sedãs médios, o Corolla ganhou uma geração completamente nova na linha 2015. Até por isso, há um “abismo” entre os valores do modelo 2014 para o 2015. Usando como referência a versão intermediária XEi (que tem câmbio automático), a variação é de 26,4%, segundo a Fipe.

No modelo 2014, o valor médio é de R$ 58.002, contra R$ 73.311 de uma unidade 2015. Tamanha diferença pode fazer com que o comprador de uma das gerações sequer cogite adquirir a outra.

Porém, se a escolha for pela nova, vale a pena investir um pouco mais e comprar uma unidade 2016 que, em média, é apenas 7% mais cara que a 2016, saindo por R$ 78.414.

Toyota Hilux

 

HIlux

A picape foi totalmente renovada no final de 2015, já como linha 2016. Ela veio acompanhada de melhorias no motor turbodiesel, que diminuiu de 3 para 2.8 litros, mas aumentando a potência e a oferta de torque.

Porém, nem mesmo o salto tecnológico fez os preços subirem muito. Segundo a Fipe, a versão SRV ficou apenas 9,2% mais cara na linha 2016 (R$ 144.120), comparando com a 2015 (R$ 132.030).

Volkswagen Gol

 

Gol

Com exceção do modelo atual, as maiores mudanças recentes do Gol foram na linha 2015, lançada em abril de 2014, quando o hatch ficou mais equipado.

A versão de entrada Trendline, por exemplo, ganhou direção hidráulica, chave canivete, encosto dos bancos traseiros para os 3 ocupantes e iluminação no porta-malas. Mesmo com a inclusão desses novos itens de série, a diferença de preços entre as versões 1.6 de 2014 e 2015, é pequena: apenas 3,2%, segundo a tabela Fipe. A opção mais nova sai por R$ 31.588 contra R$ 30.600 da mais antiga.

A versão Rallye, a mais cara, sofreu mudanças ainda maiores. Até a linha 2014, era equipada com motor 1.6 de 104 cv. De 2015 em diante, ganhou o novo 1.6 de 120 cv.

A variação de preços entre os ano/modelo justifica a mudança no propulsor. De 2014 para 2015 foi de 18,2%, passando de R$ 35.474 para R$ 41.929. Na comparação entre 2015 e 2016, a diferença é um pouco menor, de 15%. Por isso, entre os 3 anos do Rallye, vale a pena apostar no 2015.

Volkswagen Saveiro

 

Saveiro

A Saveiro passou a ter opção de cabine dupla apenas no ano/modelo 2015, e nas versões mais caras. A topo de linha Cross também ganhou novo motor, o 1.6 16V de 120 cv.

Segundo a Fipe, ela custa, em média, R$ 51.298. O modelo 2016 é 11% mais caro, e sai por R$ 56.932. A não ser por um veículo mais novo, não justifica tamanha diferença.

Se a exigência é um veículo para o trabalho, vale mais a pena investir em uma unidade mais básica, no ano/modelo 2015. A opção de entrada, Startline, com cabine simples, sai, segundo a Fipe, por R$ 30.658. É apenas 3,4% mais cara do que a versão básica 2014, chamada apenas de 1.6. Uma Startline modelo 2016 custa R$ 35.528, ou 15,9% mais do que uma no modelo anterior.

Volkswagen Golf

Golf

A melhor escolha para o Golf depende das prioridades do dono: o modelo 2014 é importado da Alemanha e traz motor 1.4 turbo de 140 cv, suspensão independente nas rodas traseiras e câmbio de dupla embreagem. Custa, segundo a Fipe, em média, R$ 71.379 na versão Highline.

No modelo seguinte, o Golf passou a ser importado do México, mas manteve as características técnicas. O preço de um exemplar 2015, no entanto, é 8,7% maior, e justifica o investimento por ser um veículo mais novo.

Por fim, o modelo mais recente, 2016, é produzido no Brasil. Há vantagens e desvantagens. Apesar de ter motor flex (os demais só bebem gasolina) de 150 cv, este Golf tem suspensão traseira por eixo de torção e câmbio automático convencional, soluções mais simples. E o preço é 19,7% maior do que o 2015, chegando a R$ 92.810, segundo a Fipe.